Friday, July 21, 2006

37. Ambiguidade e vagueza

Ambigüidade dos conceitos: É a qualidade de uma expressão ter mais de um significado. Nos casos de ambigüidade lexical a palavra tem mais de um significado. São os casos mais comuns. Alguns casos, apesar de comuns, podem ser mais difíceis de ser compreendidos à primeira vista. Pense: Duas pessoas podem ter o mesmo gosto? Podemos entrar no mesmo rio duas vezes? Duas mulheres podem usar o mesmo vestido? Fazer a mesma faculdade, ter a mesma bicicleta, ter o mesmo namorado, ler o mesmo livro, viver a mesma vida? Sim e não! A expressão “o mesmo” pode ser usada em dois sentidos diferentes: “O mesmo”, no sentido numérico: a amiga tomou emprestado o vestido... É o caso de identidade numérica. “O mesmo”, no sentido qualitativo: as amigas compraram o mesmo modelo... É o caso da identidade qualitativa.
Ambigüidade estrutural: “Todas as garotas bonitas amam um príncipe”
Ambigüidade do tipo processo/produto: podemos considerar certos temas sob dois pontos de vista. Por exemplo, a ciência como processo (como história da ciência) e a ciência como produto (como tendo um ‘estado da arte’).
Vagueza dos conceitos: Expressões vagas são aquelas que dão origem a casos de fronteira. Nesses casos, há incerteza sobre a aplicação da expressão – careca! - pois as propriedades – a intensão - não são adequadamente explicitadas.

1 Comments:

Blogger Renato Mendes Rocha said...

Bacana. Ano passado apresentei um trabalho na Semana de Filosofia da UFG sobre Vagueza e a tese da indeterminação da tradução radical.

7:55 PM  

Post a Comment

<< Home