Monday, July 03, 2006

12. Uma classificação dos signos, ainda de acordo com Peirce

6. Uma classificação dos signos, ainda de acordo com Peirce
a) Ícone: "Defino um ícone como sendo um signo que é determinado por seu objeto dinâmico em virtude de sua natureza interna". O ícone exibe a mesma qualidade que o objeto denotado. Ex: a onomatopéia, a imagem, o diagrama. Podemos então dizer que há uma relação de semelhança entre o signo e seu objeto. No caso do ícone, o significante tem uma semelhança ou imita o significado. Há alguma similaridade de qualidades entre um e outro. Exemplos: uma fotografia, um desenho, uma caricatura, um modelo em escala, uma onomatopéia, certos efeitos sonoros no rádio e no cinema, gestos de imitação.
b) Índice: "Defino um índice como sendo um signo determinado por seu objeto dinâmico em virtude da relação real que mantém com ele". O índice se encontra em relação de contigüidade com o objeto denotado. Ex: O sintoma da doença, o pingo da chuva, a queda do barômetro, o cata-vento. Na língua, os dêiticos (expressões cujo referente só pode ser determinado em relação aos interlocutores: eu, tu, aqui, agora, etc... No caso do índice, o significante não está arbitrariamente ligado ao significado, e sim tem uma conexão direta com o mesmo, física ou causal. Essa conexão pode ser observada ou inferida. Exemplos: Signos naturais, como a fumaça, trovão, pegadas, ecos, cheiros e sabores naturais, sintomas médicos (dor, pulso), sinais como o do galo do vento, o relógio de sol, batidas na porta, o telefone que toca, o dedo que aponta, uma gravação, marcas pessoais (nossa escrita à mão) e palavras indexicais, como ‘este’, ‘aquele’, ‘isto’, ‘aqui’, ‘eu’, ‘tu’.
c) Símbolo: "Defino um símbolo como sendo um signo que é determinado por seu objeto dinâmico no sentido apenas do qual ele será interpretado". O símbolo se refere a qualquer coisa por força de uma convenção ou ‘lei’. Há, nesse caso, uma relação convencional ou arbitrária entre o signo e seu objeto. Exemplo: as palavras de uma língua natural. No caso dos símbolos, o significante não tem semelhança com o significado. O símbolo é fundamentalmente arbitrário ou puramente convencional. A relação entre significante e significado deve ser aprendida. Exemplos: a linguagem humana, em geral. Números, código morse, luzes e apitos trânsito, bandeiras, etc.

2 Comments:

Blogger Cleidivan said...

eu gostaria que você me explicasse os símbolos

6:54 AM  
Blogger Cleidivan said...

eu gostaria que você me explicasse os símbolos

6:55 AM  

Post a Comment

<< Home